segunda-feira, janeiro 17, 2011

Segunda-feira é...


... igual a caça ao emprego, e em dia em que se lê: "Inscritos nos centros de emprego diminuíram 0,9 por cento de Novembro para Dezembro" - pelo menos é o que diz ali no Público, com a minha candidatura, não contam pois os centros de emprego mais parecem cemitérios, já para não falar que queremos uma coisa e nos dão outra, tenho o exemplo de uma amiga, que se inscreveu e foi bater com nariz na porta de uma loja de ferragens.

Estou inscrito na Addeco e na Multi-Pessoal e digamos que até agora não me disseram nada, nem me mandaram nada, vou vendo coisas que me vão interessando. Sim amigos, posso estar desempregado mas não gosto de ser escravo, trabalhar muito e ganhar pouco não é para mim, poderão pensar que é capricho meu, mas não, simplesmente, quero o melhor para mim, isso inclui chamarem-me para acabar o 12º ano na escola José Saramago - esses fofos que também não me dizem nada - enfim mea culpa que também quando tive oportunidade de acabar o 12º andei na borga e podia ter ido para a Faculdade - ao menos era um desempregado com canudo que pronto, digamos que é outra coisa.

Voltando ao assunto de ontem sobre aqueles senhores bons que têm o nome de patrões, que são pessoas de palavra e dizem nas entrevistas "oh sim sim, nós quer o aceitemos nesta empresa quer não ligamos à pessoa a dizer", passado uns meses a pessoa ganha raízes ao pé do telefone. A sério pessoal, sei que alguns poderão estar a passar pelo mesmo mas isto é exasperante, parece que as pessoas que vêem os nossos cv's ou são cegas e mudas, ou os telefones foram cortados, os nossos cv´s foram parar ao spam do correio, ou simplesmente não os lêem.

Emprego uma palavra que neste tempo considero um cruzeiro à volta do mundo, poucos têm, muitos querem.


PRECISA-SE DE EMPREGO

REQUISITOS: Um patrão honesto que dê a mão aos seus empregados; patrão não explorador; que pague acima dos 475 euros (sim agora já têm de pagar 485, mas continuam a insistir a roubar 10€); que dê hipótese a quem queira trabalhar.

OFERECE-SE: Trabalhador competente com vontade de aprender e de trabalhar (e olhem que existem poucos trabalhadores assim).

8 comentários:

Sofia disse...

olha que eu sou uma "desempregada com canudo" e não me está a servir de muito

Pedro disse...

bem sei sofia, =/

Afal disse...

Epá...eu uns meses depois de acabar o curso já só dizia "dou até ao final de Setembro, se não aparecer nada, vou bater à porta ali do Pingo Doce". Antes disso a minha mãe "resgatou-me e levou-me para a ajudar no salão. Mas a questão é, em último caso, há sempre os supermercados...é mau? Claro. Mas podia ser pior.

Pedro disse...

Afal nem os supers me chamam =/ fui ali ao pingo doce, continente e afins ...

Afal disse...

Isso já é azar crónico XD

(e sabia melhor ainda do que parece lol)

Pedro disse...

não é mesmo porque não precisam de ninguém afal

Sofia disse...

Olá Pedro, isto do emprego tem muito que se lhe diga e, aliás, o tema está muito bem retratado na capa da Visão desta semana! Como é que querem um país competitivo se não há postos de trabalho qualificados?!
Beijinhos,
Sofia

Pedro disse...

sofia haver postos de trabalho qualificados há, mas certos licenciados vao para fora, chama-se a isso imigração de luxo.
Há postos mas não há trabalhadores, e depois há daquelas pessoas que vivem com a mama do estado é um pau de 7 bicos